O Impacto da Infertilidade na Relação Conjugal

O Impacto da Infertilidade na Relação Conjugal

       O desejo de ter filhos em algum momento da vida, salvo exceções, ainda é a regra. Grande parte dos casais alcança o desejado após alguns meses. Já, para outros, com tristeza e decepção, mês após mês a gravidez não ocorre, dando início a um processo lento e doloroso, exigindo a tomada de decisões quanto a forma de enfrentar essa situação.
       O progresso da medicina oferece aos casais em que foi constatada a impossibilidade de engravidar de forma natural, a opção de intervenção, por meio de métodos de fertilização.
       Em muitos casos são necessárias várias tentativas para o sucesso, exigindo a decisão de seguir tentando ou não. A desistência pode resultar da incerteza quanto ao resultado, mas também por questões econômicas ou pelo desgaste causado na relação por todo o processo. A união e a cumplicidade inicial podem dar lugar à insatisfação, assim como a um sentimento de divergência quanto a objetivos de vida.
       Os desafios inerentes a este processo e o decorrente stress podem resultar no distanciamento do casal, mesmo nos casos em que o sonho de engravidar e dar continuidade na formação de uma família seja alcançado. Para que a relação seja preservada é importante cuidar da relação, para o que é essencial o suporte terapêutico.
 
       Marli Kath Sattler
 
Psicóloga, Mestra em Psicologia Clínica, Psicoterapeuta Individual, Casal e Família – Professora, Supervisora e Membro da Coordenação do Domus.